Comitê Gestor do projeto ‘Indicadores da Agroecologia: construindo caminhos’ reunido em El Salvador, janeiro de 2020

Agroecologia na América Latina: construindo caminhos

O Projeto Agroecologia na América Latina: construindo caminhos tem como objetivo geral a construção colaborativa de uma série de indicadores que servirá de base para o monitoramento e avaliação do papel dos Sistemas Participativos de Garantia (SPG) no avanço das transições agroecológicas na América Latina. Este projeto visa apoiar agricultores/as familiares e parceiros que trabalham com SPG e, de maneira efetiva, coletar, reportar e comunicar suas práticas agroecológicas, assim como mensurar e monitorar as mudanças agroecológicas ao longo do tempo, sendo considerados aspectos econômicos, sociais e ambientais.

O projeto é desenvolvido através de cooperação internacional entre o Cepagro, a University of British Columbia (UBC), a Fundação Inter-Americana (IAF) e outras sete organizações latino-americanas: 

  • – Centro Campesino para el Desarrollo Sustentable A. C. (México)
  • – Rede Tijtoca Nemiliztli (México)
  • – Fundesyram (El Salvador)
  • – Movimiento de Economía Social y Solidaria del Ecuador (meSSe – Equador)
  • – Asociación de Productores Orgánicos (APRO – Paraguay)
  • – Movimento Mecenas da Vida (MMV – Bahia)
  • – Centro de Tecnologias Alternativas Populares (CETAP – Rio Grande do Sul).

Estas organizações já atuam em cojunto desde 2016, através do Projeto Saberes na Prática em Rede, coordenado pelo Cepagro com o apoio da IAF. 

O projeto, que tem o formato de uma pesquisa-ação, foi aprovado no segundo semestre de 2020. Após analisar os formulários de certificação participativa disponibilizados por famílias agricultoras dos cinco países de abrangência e a realização de diversas reuniões para definir, de forma colaborativa, qual seria o quadro de indicadores a serem priorizados,  foram elencados 23 indicadores nas dimensões de sustentabilidade social, ambiental e econômica e divididos nas categorias: uso da propriedade, produção, autoconsumo, mão de obra, agrobiodiversidade e práticas agroecológicas.

Além de trazer informações importantes às famílias agricultoras para a gestão de suas propriedades, os indicadores também são uma forma de subsidiar programas e políticas públicas, pois fornecem informações claras, consistentes e evidenciadas.

A coleta de informações é feita junto a  112 famílias agricultoras utilizando a plataforma digital  LiteFarm, gratuita e de código aberto, desenvolvida através de parceria entre pesquisadores da University of British Columbia (UBC), desenvolvedores e agricultores das Américas do Norte, Central e do Sul. O aplicativo dinamiza a coleta de dados quantitativos e qualitativos e auxilia famílias agricultoras no acompanhamento, gestão e melhoria de suas áreas produtivas.

Com essa iniciativa piloto espera-se obter resultados significativos e promissores para subsidiar projetos e políticas públicas que promovam sistemas agroalimentares mais sustentáveis e assim vislumbrar um horizonte onde a agroecologia seja política e socialmente assumida como uma abordagem para o enfrentamento às crises emergentes.

Confira aqui algumas notícias sobre o projeto.